Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2010

RETIFICANDO

e Deus nos fez à sua imagem e semelhança
ps. o que não quer dizer a mesma coisa



NA RAIVA

o nariz venta



CAPACETE

tem um pouco do que pensamos na espuma



MUNDAÚ

2

a Cidade sem edifícios (risco de gráfico subido descendo subindo) Cidade de rama (se enfiando) que as de cima copando igual enxurrada a Cidade crescendo

FEMINISTA

mas tão feminista
que as galinhas nasciam de uma ova

ASSIM É TUDO

tudo se acende
um fósforo uma vela
uma lâmpada um sol
tudo se apaga

BRAZIL

“país da América do Sul
lá se puxa pouco a descarga”

MUNDAÚ

1 a Cidade é vizinha de cidades-mirins (de pouca rama) Cidades de uma igreja ao centro (igreja-umbigo) que é de onde as Cidades (os bens mirins) crescem vagarosamente até enxertar noutra o viaduto umbilicando-as siamesando

PRÓLOGO

a cidade
empestada de becos
pés-de-galinha (parabólicas) fios no céu (fios-terra) São Sebastião flechado   São Sebastião pichado São Sebastião São Jorge a cidade dentro de casa (assistindo a cidade grande)

JOANA

de pensar eu pensava:
o sol ser um sonrisal crescido no céu
descido no mar faria aquele chiado de cozimento de pensar a lua era uma moeda igual o Avô disse ser — quem a puser no bolso enrica da noite pro dia que a aranha eu pensando comia linha de costura e fazia sua própria casa cagando a casa saída do fundo de mulher esperar a cegonha eu jamais compreendia  longe do entendimento que era entendimento eu tinha de ter fome

pensava que Joana vizinha da casa pegada a nossa por ter sumido uns tempos a mãe chorando “minha Joaninha minha Joaninha” pensava que Joana sumida tinha virado Joaninha igual a mãe chamando procurava uma Joaninha no quintal levava na porta da mãe entalada de choro (o medo de espragatar a pobre) batia palmas
corria deixando a Joaninha no entendimento com a mãe

REVOADA

as mãos que dão tchaus
são pássaros que erguem voos