Postagens

Mostrando postagens de Outubro, 2011

A voz das plantas e a vida da lápide na poesia de Helder Herik

Imagem
porJohnny Martins*


Os temas das telas do pintor Vincent Van Gogh não eram novidade na pintura quando ele surgiu. Sua genialidade ― infelizmente, só postumamente reconhecida ― foi identificada, sobretudo, no olhar dele sobre as coisas e em sua forma singular de representá-las. As séries dedicadas às flores são os exemplos mais contundentes de seu talento artístico, que influenciou fortemente toda a produção das vanguardas do início do século XX. Entre essas séries estão as pinturas de girassóis, com destaque para a tela “doze girassóis num vaso”, a mais famosa. É um detalhe dessa pintura que ilustra a capa da obra poética As plantas crescem latindo(u-Carbureto, 2009, 112 p.), título que me despertou a curiosidade quando vi um exemplar na mão de alguém durante a primeira FreePorto (2009), festa literária ― cheia de boas surpresas ― para a qual o autor do livro tinha sido convidado, o jovem poeta de GaranhunsHelder Herik.A assonância desse nome também me chamou a atenção, não apenas porqu…

EVITANDO CHEGAR

Imagem
Era voltando do colégio que ele vinha. Passo miúdo, vagaroso. Cabeça de vento que ele tinha, que ele nem pegava as matérias. Nem quem havia colonizado o Brasil, nem as contas de mais, nem as contas de menos, nem nenhuma das quatro operações. Dos adjetivos, os verbos, o português todo, ele não pegava. Passarinhos que pousavam na mão, nem bem ele fechava, passarinhos batiam as asas. Voltando do colégio que ele vinha. Nem chegava ainda, só vinha. Só vindo. A mochila pesada dos livros, as tantas tarefas que a professora marcou. O dedo da professora rodando no ar, marcando a tarefa. Todo mundo enraivecido, todo mundo a querer sair, chegar em casa, ligar a TV, assistir  X-men. Volverine. Todo mundo queria ser o Volverine, arranhar, enfiar as garras, destruir. Um menino deixou as unhas crescerem, mas nem foi a mesma coisa, o mesmo efeito nem foi, nem ficou Volverine. Ele nem tinha presa de sair, chegar em casa. Ele vindo, todo vagaroso. Vindo pra casa. Indo pra casa. Havia medo de chegar em …