eu tomara ver


4
As definições de vírus foram atualizadas. Ouviu e ignorou. Aquilo já havia se tornado mecânico. Era tipo: bença mãe, só por dizer, nem ouvia o Deus te abençoe. Deus te bendiga. Ela era assim: coisa que se desligava. Uma coisa entrava em foco, o resto do mundo se desfocava. A mãe que dizia. O resto vira resto, o resto vira borrão. Mas nem era assim. Isso tudo assim que a mãe falava. Mãe é um exagero. Todas as mães são. Uma só mãe não existe sem que não exista exagero, nos olhos, na língua, no coração. @nathy amanhã tem prova é? Argh. Pode consultar o livro? Deu fome e ela abriu uma lata de brigadeiro. Cavoucou com a unha e enrolou umas bolinhas com a palma da mão. Uma trabalheira. Uma sujemundície. Pra quê é que você tem cabeça menina. Pegou uma colher de chá e acabou a lata. Ainda na geladeira pode haver alguma coisa, disse, sempre dizia pra si alguma coisa confortante. Talvez isso, isso talvez, isso sim. Você não dorme direito porque está sempre comendo, a boca sempre mastigando, as mãos sempre levando algo a boca, a boca sempre engolindo, uma dia esse corpo vai estourar. A mãe que disse. O tratamento de choque que a mãe impunha. Lembra o que o médico falou? Ela nem respondia. Sabe muito bem que não é fome, sabe que é an.si. e. da. de, lembra? Ela nem lembrava, nem havia focado o médico. 

Postagens mais visitadas deste blog

Impulso

Suspiros

Paulo Gervais, Poeta.