Postagens

Mostrando postagens de Dezembro, 2017

Lesma

Imagem
Lesma vem de varar o mundo
trocentas eras
assim: ela no vindo rastoso
afogado

é ver que folga
do ser bicho
e vira casca de pau

ademias
o vindo rastoso dela vir:
muco no cimento
(muco é glitter dela
gozinho dela tanto esfregar)

Lesma bastar a si mesma
por hermafrodita
que é saber se gozar a hora de bem quiser
que é assim dela ser: minhoca e buraco
os ambos

admira faltar pulmões
dela inalar os ares
ao que remedia
inalando no ânus
que é o conforme ela viver


(Imagem: Pinterest)

Alheio

Imagem
Um dia
caiu-me da cara um olho
que quase pisei

comoção de todos por querer socorrer:
um que arrancasse a terra
um que pusesse o lado bem correto
um que afastasse o povo
e um pombo vindo

(Imagem: Pinterest)

Credo

Imagem
anciã pegou toco de vela rezou alto a ver se batia no ouvido do santo
― uns que sendo surdos, só apelando
a chama tremelicava de rajadas cuspidinhas e bafejos era a ladainha as incelenças novenas
quando a ver já ia bem amanhecendo até que a reza fez destino
aí a pouco foi nascendo um dente atrás do outro
quem visse diria que tinha botado chapa
anciã ficou a ser besta só rindo ao tudo
dentando o vento
(Imagem: Pinterest)
Imagem
Tive pena daquele homem! Pudesse lhe devolveria a juventude. Esticaria as rugas fundas e ensaboaria as manchas na pele. O tempo nos desgasta na cara, esteja a ver! É na cara que sentimos a ferrugem se alojando, levantando fervura, borbulhando. É na cara que o tempo deixa a sua pisada mais funda.

Tive pena daquele homem! Havia envelhecido vinte anos em cinco, disse, em tom lamentoso e arrastado.

“Feliz daquele que chegar a velhice, muitos irão ficar pelo caminho.” Cresci ouvindo minha avó Leuza dizer esta frase. Sempre achei uma frase superior. Um troféu a velhice.

O que apunhalava o coração era a tristeza daquele homem do Brasil. Trabalhador, pouco letrado e muito endividado. Um brasileiro que não assistia telejornais e nem lia romances. Teria envelhecido tanto as custas das dívidas? Amanhecer e adormecer pensando em dívidas. O leitor já não teria perdido um fio de cabelo ou criado uma ruga por uma conta atrasada? Acaso nunca inventasse uma história para se livrar de um cobrador?

&qu…