Viúva da seca

O homem aparecia de tempos em tempos. Trazia tecidos baratos, fazia um filho e ia embora. Principalmente ia embora. Partia pra São Paulo, pro interior. Se fosse sortudo trabalharia na lavoura de café. Colheria grãos subindo em escadas, depois abarrotaria caminhões enormes que cortariam o Brasil. Se fosse desgraçado trabalharia nos canaviais. Vestiria-se de astronauta, empunharia foice, facão e cortaria braças e mais braças de canas.  Fuligens entrariam pelo nariz e olhos. A penugem da cana cortaria o pescoço. Depois o homem apareceria novamente, levaria tecidos baratos, fariam filhos...  

(Imagem: Pinterest)

Postagens mais visitadas deste blog

Impulso

Suspiros

Paulo Gervais, Poeta.